O pensamento visual dá a cara dos negócios inovadores

O pensamento visual dá a cara dos negócios inovadores

O bestseller Business Model Generation, em sua recente versão voltada para inovação, destaca o “visual thinking”, ou “pensamento visual”, como uma das mais importantes ferramentas no mundo dos negócios atual.

Desenhar uma ideia, mesmo de forma rudimentar, nos ajuda a entende-la melhor. Uma abordagem visual possibilita que uma discussão em grupo seja melhor entendida, alinhando a percepção de todos sobre o problema.

De uma forma muito sensível, as pessoas reagem com maior força às imagens do que as palavras. Um desenho permite uma visão abrangente e integrada de diversos aspectos ligados a um projeto, possibilitando que os envolvidos naveguem sobre o mapa das informações.

Existe um outro aspecto muito importante no tratamento visual dado a uma ideia, especialmente quando os traços são imperfeitos: desenhos simples dão leveza a qualquer assunto. O desenho traz uma aura de ludicidade à absorção da informação, humanizando a comunicação.

Não é por outra razão que hoje é comum se ver nos mais diversos eventos a figura de um “facilitador gráfico”, alguém que, em tempo real, desenvolve uma síntese visual do conteúdo que está sendo gerado ali. No final de cada etapa de um evento, os participantes podem conferir um painel com o resumo das conversas, que os ajuda a fixar as informações essenciais e entender como elas se relacionam.

E em tempos de engajamento, uma imagem com um bom conteúdo tem muitas chances de ser compartilhada e envolver um número muito maior de pessoas.

Quando fazemos um mapa mental, ou quando exploramos uma proposta usando canvas e post-its, também estamos exercitando o pensamento visual. Da mesma forma, o desenho de um fluxograma, a utilização de setas, de linhas pontilhadas, caixas de texto, conexões também compõem o seu rico universo.

Pense na hegemonia dos ícones, dos emojis, nos mais diversos campos da comunicação, isso nos mostra a força do pensamento visual no mundo de hoje.

Uma ótima maneira para se abrir espaço dessa ferramenta no dia a dia é fazendo notações visuais. Quando participar de uma reunião, comece a tomar notas em folhas de papel sem pauta, de preferência em caderno que esteja sempre com você. Faça disso um hábito. Tenha sempre canetas com cores diferentes e rabisque suas percepções de forma livre, usando a criatividade para experimentar soluções que façam sentido para você.

Vamos encorajar você para mergulhar nessa prática, no workshop de um dia que a Univoz fará no dia 25 de maio, sábado, voltado especialmente para o Pensamento Visual e a Facilitação Gráfica. Inscreva-se, você vai descobrir como essas ferramentas irão transformar muitas de suas rotinas, não apenas no trabalho, mas também em sua vida pessoal, trazendo muito mais efetividade e leveza.

Marcio Reiff
Designer de informações, storyteller e facilitador gráfico.
Consultor da Univoz responsável pela área de Pensamento Visual.

 

Quer conhecer mais sobre os temas abordados neste artigo? Faça aqui sua inscrição!